quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Espelho (Luiz de Jesus)


Encontrei-me com alguém
Que me aceita como eu sou
Me ama, me entende
Sabendo o que se passa, no meu interior

Não me julga na aparência
Não me olha com cobranças
É humano como eu
De me amar, nunca se cansa

Conhece as minhas falhas
E também minhas virtudes
Os meus erros ele perdoa
Com sincera atitude

Quando eu estou pra baixo
Ele me traz pra cima
Nos momentos mais difíceis
Me eleva a autoestima

Quando eu choro, ele chora
Se estou feliz, ele sorri
Um amigo companheiro
Minha razão de prosseguir

Quantas vezes já pensei
Da vida desistir
Abandonar meus sonhos
Meu castelo destruir

Mas você me deu forças
Você me deu coragem
Desembaçou minha visão
Resgatou a minha imagem

Hoje contigo eu aprendi
E sigo o seu conselho
Para ser amado e ser aceito
Se começa,... olhando no espelho

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Yes, We Can

Yes, We Can

Há quem diga que todas as noites são de sonhos. Mas há também quem diga nem todas, Só as de verão...Mas no fundo isso não tem muita importância. O que interessa mesmo não são as noites em si, São os sonhos. Sonhos que o homem sonha sempre. Em todos os lugares, Em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado. Shakespeare

Trabalho feito para a EMPIRE.

Texto: Luiz de Jesus
Filmagem e Edição: Isaque Alves
Narração: Diomar
Participação especial: Cássia de Jesus, Valdir Almeida, Daniel Fogos e Déborah Nascimento.


video

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

A Cobertura (Luiz de Jesus)


Oh! Meu Deus!
Como entender Teus propósitos?
Quem alcançará Teus pensamentos?
Mesmo assim, guardarei o meu depósito
Pois em Ti, sempre haverá livramento

Se mil vidas eu tivesse, para os deleites meus
Se não fosse em Tua presença, seria mera vaidade
Optaria em perdê-las, na Casa do meu Deus
Do que vivê-las, na tendas da perversidade

Nosso templo não é de concreto,
Nossa estrutura não é de metal
Nossa fé está debaixo de um teto
Onde a cobertura é espiritual

Vidas que renasceram
Os escombros não podem matar
Histórias que foram escritas na glória
Viveram tempos de honra e vitória
Hoje voltaram pro lar

Nada pode abalar, a igreja apostólica
Onde o firme fundamento é Cristo
Não tememos notícia diabólica
Pois vivemos a Verdade, que é Jesus Cristo

Preciosa é aos olhos do SENHOR a morte dos seus santos” (Salmos 116:16)

Dedico essa poesia a todos os irmão em Cristo, amigos e familiares das vítimas, do episódio ocorrido na sede da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, no dia 18 de Janeiro de 2009.

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

Ausência (Crônica de Luiz de Jesus)


Papai....Hoje é comemorado o seu dia; “Dia dos Pais”. Estou sentindo muito a sua falta, pois o tempo vai passando e eu passo o tempo a te esperar. Há uma pergunta que me acompanha ao longo da minha infância...Onde estás papai? Lembro-me que ainda dentro da barriga da mamãe, quando ouvia a tua voz, queria logo sair e estar em teus braços. Pois as suas promessas de me levar para jogar bola com você, me chamavam para a vida. Em determinado momento, percebi que você não falou mais comigo, a sua voz sumiu. Até a mamãe parou de cantar para mim. Fiquei triste dentro daquela bolsa que me aquecia, mas não eram tão quentes quanto as suas palavras de carinho. Quando eu nasci, vi o lindo sorriso estampado no rosto da mamãe. Conheci aquela que sempre conversava comigo. Mamãe olhava para mim, ria e chorava. Como mamãe estava linda! Mas a enfermeira me levou para o berçário, antes de eu ver você papai. Não dormi aquela noite, fiquei de vigília a te esperar. Muitas pessoas foram me ver, mas nenhuma delas era você, pois eu conhecia a sua voz. Perguntava a mim mesmo; cadê aquela voz? Voz que me chamava de tesouro, de campeão. Voz que fazia tantos planos para nos divertirmos. Cadê você papai? Muito tempo se passou, e hoje quando eu pergunto a mamãe onde está você, ela me diz que você vai aparecer, isso já é bom, pois isso me faz saber que realmente você existe. Sabe como eu te imagino papai? Como um Super-herói! Um herói que está lutando contra grandes vilões, e depois de derrotá-los, virá me ver e me levar para passear. Sei que você papai, irá conseguir derrotar o vilão chamado orgulho, apesar dele ser um forte adversário. Mas depois de vencê-lo, deverá também vencer uma outra adversária...A culpa. Pois ela conhece o seu ponto fraco, que é a sua consciência. Papai... usa os seus superpoderes, para apagar as cicatrizes que a sua ausência deixou em mim! Ouço constantemente a mamãe falar em divórcio. Não sei o que é, mas desconfio que seja uma arma com um enorme poder de destruição, pois ela destruiu a alegria e a saúde da mamãe e nunca mais fomos uma família. Volta papai! Vem me ver, preciso te conhecer. Sabe papai, tenho um amiguinho na escola que diz que seu pai foi morar no céu. Se no céu tem pai, será que não teria um para mim? Pai, a minha imaginação já não consegue mais, ignorar sua ausência. Acho que o meu herói morreu e junto matou a minha esperança. O meu sonho de criança de um dia te conhecer, se tornou em um pesadelo sem fim. A mamãe insiste em criar estórias, aonde você continua como um herói. Mas hoje, depois de todos estes anos, fiz a triste descoberta...O meu herói morreu. A arma do divórcio matou meu herói, por não ter usado o escudo do amor.


“Mais triste e dolorido do que perder um pai, É aquele que não tem um pai para perder, Onde a dor da ausência, daquele cuja falta, o tempo Não pode preencher”. Luiz de Jesus®


“Pode uma mãe, abandonar o seu filho que ainda amamenta, de maneira que não se compadeça do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse, eu, todavia, não me esquecerei de ti. Eis que nas palmas das minhas mãos eu te gravei”. Ass: Deus, o Pai Eterno. Isaias 49:15-16